Amazônia 360º News
Portal de notícias socioambientais

-publicidade-

Manifestação culmina em incêndio de alegorias no galpão do Garantido

Guarnições da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros tiveram que atuar para conter o tumulto em Parintins

Dezenas de trabalhadores fizeram um protesto na sede do boi Garantido, em Parintins, na noite desta sexta-feira (8) em razão de problemas relacionados ao pagamento de salários e serviços prestados. O tumulto culminou no incêndio de alegorias no galpão e foi necessária a atuação do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (Cbmama) para conter as chamas.

De acordo com a corporação, o fogo foi iniciado devido a protestos de funcionários. Para a contenção do incêndio foi utilizado pelo menos 300 litros de água, e após a extinção das chamas, o Corpo de Bombeiros disse que permaneceu no local junto com as guarnições da Polícia Militar do Amazonas até o fim da movimentação. O acionamento ocorreu por volta das 21 horas.

Em vídeos que circulam em grupos de mensagens, os trabalhadores que atuam em diversas frentes do boi Garantido se revoltaram com a falta de pagamento. “A gente coloca esse boi na arena debaixo de sol e de chuva e a gente não tem dinheiro para receber. Que valor o artista tem, Parintins?”, protestou um dos funcionários. “Eu nunca vi isso na minha história”, disse outro trabalhador.

O presidente Antônio Andrade disse ao A Crítica, no último dia 7, que calcula que entre cerca de 15% a 20% dos trabalhadores e fornecedores ainda não foram pagos, e creditou os atrasos a um recurso de R$ 1,5 milhão bloqueado na Justiça do Trabalho e ao recebimento de patrocínios. A equipe de reportagem segue na tentativa de contato com membros do boi Garantido para um posicionamento acerca das manifestações ocorridas no município.


Fonte: Portal A Crítica

você pode gostar também