Amazônia 360º News
Portal de notícias socioambientais

-publicidade-

Conectados: Egressos do programa socioeducativo recebem orientações para trabalho e estudos por meio da Sejusc

O programa é composto por uma equipe multiprofissional que desenvolve atividades articuladas com a rede de atendimento de cada área

Um projeto de capacitação e reintegração de adolescentes, egressos de cumprimento de medidas socioeducativas, tem feito a diferença para aqueles que saem das unidades da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) em busca de uma nova trajetória. Por meio do programa #Conectados, desde 2020, adolescentes são acompanhados por profissionais e servidores fora dos muros das unidades.

Um dos egressos que teve a vida mudada pelo programa foi Thalysson Silva, de 22 anos. Ele cumpriu medida socioeducativa, foi reeducado e ressocializado. Hoje, ele é universitário e reconhece que o programa lhe abriu portas que antes não pensava ser possível entrar.

Ele frisa que as orientações são para todos que passam nas unidades socioeducativas e que o #Conectados abre horizontes. “Quando tive a oportunidade de fazer uma faculdade não tive dúvidas em escolher Direito. Hoje estou muito feliz, minha mãe se emocionou bastante, meu pai e meus irmãos. Eu agradeço por conseguir realizar esse sonho”, comemorou Thalysson, que inicia as aulas na faculdade no próximo mês.

Além de ingressar em um curso superior, Thalysson também ingressou no mercado de trabalho pelo programa, que tem parceiros que aceitam os egressos. “Hoje, através do programa e de um projeto da Defensoria Pública, eu ganhei uma bolsa para estagiar e logo depois eu fui contratado pela empresa terceirizada e estou lá na Defensoria atuando”, conta.

Programa

Atualmente, 76 adolescentes estão sendo atendidos pelo projeto, que é coordenado pela Secretaria Executiva de Direitos da Criança e do Adolescente (Sedca). Eles recebem atendimentos individuais e personalizados, presencialmente e online. O #Conectados atende ao Estado da Criança e do Adolescente (ECA), que prevê a ressocialização de menores infratores.

O programa é composto por uma equipe multiprofissional envolvendo psicólogos, assistente social e pedagogo, que desenvolve atividades articuladas com a rede de atendimento de cada área. A maior estratégia adotada, é a articulação de parceria, tanto com instituições públicas quanto privadas, oportunizando a inserção no ensino superior e no mercado de trabalho.

Jussara Pedrosa, secretária da Sejusc, frisa que o programa acompanha os adolescentes após o cumprimento de medida socioeducativa, com base em quatro principais eixos de atuação: educação, profissionalização, empregabilidade e assistência.

você pode gostar também