Amazônia 360º News
Portal de notícias socioambientais

-publicidade-

-publicidade-B

Polícia Federal vai investigar institutos de pesquisa, diz ministro da Justiça

 

Durante coletiva de imprensa, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, afirmou nesta quarta-feira (05) que instaurou investigação sobre a atuação dos institutos de pesquisas eleitorais.

A iniciativa visa, de acordo com Anderson Torres, identificar possíveis “conluios e associações”.

“Nada melhor que o inquérito policial para esclarecer se existe crime ou conluio entre algumas empresas associadas”, disse o ministro.

“Vamos investigar tudo isso que tá aí. Não é um ou outro. A minha representação é para que Polícia Federal avalie tudo isso que está acontecendo nos institutos de pesquisa do Brasil”. O ministro ainda frisou que a denúncia partiu dele e foi motivada pelos números “discrepantes da realidade que se teve nas urnas”, respondeu Torres ao ser questionado sobre quais institutos serão investigados.

“O inquérito foi instaurado para esclarecer tudo isso. Tivemos números muito discrepantes da realidade nas urnas e precisamos saber se existem crimes por trás disso aí. Nada melhor que um inquérito na Polícia Federal para esclarecer o caso e para que a população brasileira possa exercer seu direito e para que pesquisas não direcionem votos”, completou o ministro da Justiça.

Na mesma coletiva, o presidente Jair Bolsonaro também deu sua opinião sobre o assunto.

O presidente acrescentou que a investigação da PF visa “ver quem está pagando pelas pesquisas” e qual seria o interesse em custear esses levantamentos.

Bolsonaro ainda acusou os supostos financiadores de “interferirem na democracia”.

“Você tem que ver quem está pagando aquela pesquisa e o interesse em pagar aquela pesquisa. Muitos eleitores diziam que não iam votar em candidatos que iam perder. Alguns votam dessa maneira ainda. Muitos votaram em que estava na frente para não ter segundo turno e botar um ponto-final […] A intenção é interferir na democracia”, disse o presidente.


Por Gazeta Brasil

você pode gostar também