Amazônia 360º News
Portal de notícias socioambientais

-publicidade-

Invasão ecológica: Pirarucu da Amazônia é visto em rio na Flórida

O serviço de Vida Selvagem do Estado da Flórida (EUA) quer saber como um pirarucu foi parar em um rio local amplamente conhecido pela prática esportiva de pescaria, localizado dentro do Cape Coral’s Jaycee Park. A informação veio à público após matéria publicada no NBC Philadelphia, nesta segunda-feira (15). Até então, não havia registro de peixes da espécie pirarucu em ambiente natural nos Estados Unidos.

O peixe nativo do rio Amazonas foi encontrado morto na praia ao longo do rio Caloosahatchee. Como o pirarucu chegou ao estado da Florida ainda é um mistério. “Há uma chance de que alguém o tenha como animal de estimação e o tenha lançado na selva”, sugeriu o capitão Josh Constantine, que pesca nas águas perto do rio Caloosahatchee há mais de 20 anos, conforme relato obitido pela NBC.

Para a bióloga da Nicholls State University e especialista em peixes-leão, Katherine Galloway, se outro peixe da espécie, reprodutivamente ativo for encontrado “provavelmente haverá mais na Flórida”. A bióloga considera que a espécie pode afetar o comércio de peixes e o turismo de mergulho.

O aparecimento do pirarucu na região foi confirmado pela Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida (em inglês, Florida Fish and Wildlife Conservation Commission, ou FWC). O FWC orientou a população que caso alguém pesque ou veja um pirarucu ou outra espécie não nativa de peixes de água doce na natureza para comunicar o serviço de vida selvagem.

Ao NBC10 Philadelphia, o FWC orientou ainda a população para se certificar de tirar uma foto, se possível, e fornecer o local, data e hora, caso vejam o peixe da espécie pirarucu. “Os peixes não nativos devem ser mortos humanamente e nunca devolvidos vivos à água”, disse o comunicado.

Com dois metros e 200kg na fase adulta, o pirarucu é um peixe amazônico reconhecido pela escama que se confunde com uma ‘armadura’. A carne do pirarucu também é uma das mais valiosas do mundo. A pesca indiscriminada fez com que a espécie quase se extinguisse. Atualmente, há restrições quanto à pesca do pirarucu, sendo autorizada em processos de manejo liderados por pequenos pescadores em Unidades de Conservação  ou comunidades ribeirinhas da Amazônia.

Fotos: Ricardo Oliveira/ Amazônia Imagem
você pode gostar também