Amazônia 360º News
Portal de notícias socioambientais

-publicidade-

-publicidade-B

Amazonas deve registrar crescimento de 2,7% no PIB em 2022, estima Sefaz

Políticas de microcrédito e de assistência contribuíram para o avanço do índice no Amazonas

 

Resultado de medidas de incentivo ao empreendedorismo pós-pandemia e a distribuição de renda para a população mais pobre, o Amazonas deve alcançar um crescimento de 2,7% no Produto Interno Bruto (PIB), ao final de 2022, conforme estimativa da Secretaria de Estado da Fazenda do Amazonas (Sefaz). A expectativa é que o desempenho do estado supere a média da região norte, que deve fechar o ano na margem de 1,7% de crescimento.

De acordo com a Sefaz, o bom índice representa um aumento, ainda, em relação à média nacional. No Amazonas, os setores de serviços e industrial devem impulsionar o PIB, visto que a estimativa é avançar 4,3% para serviços e 0,5% na indústria em 2022.

O secretário da Sefaz, Alex Del Giglio, destaca que a deflação registrada nos últimos meses colaborou para que o deflator implícito do PIB ficasse mais baixo, além da conjuntura econômica. Ele acrescenta ainda que o Governo do Estado tomou medidas que resultaram nos indicadores positivos para o Amazonas.

“Fizemos políticas que foram importantes para injeção de dinheiro na economia, sobretudo políticas de microcrédito pela Afeam, políticas de assistência social para a redução das desigualdades, Auxílio Permanente, créditos emergenciais e obras públicas. Toda essa injeção direta do governo e a melhoria das expectativas dos empresários em relação ao futuro e dos consumidores foram fundamentais”, explicou Del Giglio.

Ainda segundo o secretário, as medidas possibilitaram que o consumidor tivesse maiores condições de consumo.

“Se você verificar a expectativa do consumidor e do empresário, que eram muito ruins há um ano e meio, elas avançaram bastante e isso corrobora com que você tenha um ambiente de negócios favorável e os agentes econômicos comecem a consumir mais, a se desenvolver de forma mais efetiva. Isso tudo faz com que a economia cresça de forma sustentável”.

Redução do desemprego

O secretário da Sefaz também destaca a redução do desemprego no Amazonas e o viés de queda até o final do ano. Com a taxa atual de 10,4%, quatro pontos percentuais a menos que no último quadrimestre de 2018, Alex Del Giglio pontua a retomada da indústria pós-pandemia a o avanço de microempresas como fatores que contribuíram para o preenchimento de vagas.

“Acredito que sobretudo o avanço de microempresas, microempreendedores individuais e a retomada da indústria. Tivemos uma retomada importante da indústria, tanto é que os dados do setor de duas rodas que é um dos principais polos do estado deve atingir um crescimento de 18% esse ano e isso fez com que houvesse mais contratações”, disse o secretário, acrescentando que a retomada econômica ocorreu de forma rápida.

“A gente percebe uma evolução uma vez que a gente teve anos difíceis sobretudo por conta da pandemia de Covid-19 e não se esperava uma retomada tão rápida. É algo que surpreende e faz com que a gente tenha uma expectativa futura muito positiva”.

você pode gostar também